TRADICIONALIS

Este Blog pretende ser um espaço onde se trocam impressões e ideias sobre o património cultural português e qual a melhor forma de o preservar. A música e os instrumentos musicais, em especial os cordofones, terão aqui um espaço privilegiado.

27 novembro 2005

MÚSICA E SOCIEDADE

“The social context of music reveals an impressive range of uses. The organization of healing, war, work, political process, ideologies of identity, the recordind of history, the relationship of human beings to one another, to nature, and to the supernatural are all domains in witch music, at various times and places, has played a central role. Thus, for exemple, the Nuer – made famous in anthropology by Evans-Pritchard’s ethnographic researches (1940) – chose as their war captain the most inspiring singer of martial anthems.”( Herzfeld, Michael, 2001, Anthropology, Blackwell Publishers Inc, Massachusetts, 2001:279)
A música tem a sua quota-parte na contribuição directa ou indirecta nos processos de transformação políticos ou sociais. Se o sentido e o significado da música se encontram separados e desvinculados de forma significativa do processo social, ao ser um produto de uma experiência interna e pessoal, isto significa que cada significado social atribuído à música dependerá de uma referência externa ao mundo social. Tratando-se a música de um fenómeno essencialmente dinâmico e abstracto, o sentido e o significado que podem chegar a produzir reside, basicamente, no modelo utilizado, na forma, na estrutura e não tanto na concretização de um mundo material reificado.

1 Comments:

At 28 novembro, 2005 14:13, Anonymous Zé Paulo said...

Se entendi, argumenta-se qualquer coisa que pode ser do tipo "a cantiga é uma arma", mas não é ela que dá tiros e mata. Isso fá-lo aquele que ao mesmo tempo é capaz de criar e executar a cantiga... pode soar estranho, mas faz(-me) um certo sentido

 

Enviar um comentário

<< Home