TRADICIONALIS

Este Blog pretende ser um espaço onde se trocam impressões e ideias sobre o património cultural português e qual a melhor forma de o preservar. A música e os instrumentos musicais, em especial os cordofones, terão aqui um espaço privilegiado.

18 novembro 2007

TERESA O'DONNELL NO MUSEU DA MUSICA

Com uma audiência muitíssimo boa o concerto de Teresa O'Donnell foi uma maravilha. Dispensando qualquer tipo de amplificação e usufruindo da excelente acústica do Museu da Música, fomos transportados até aos terrenos verdejantes da Irlanda através da harpa e da sua voz.
Mais uma vez, à semelhança do que tinha feito no concerto do grupo No Man's Land do Chipre, pedi a Teresa O'Donnell que fizesse uma pequena demonstração da sonoridade da sua Harpa para publicar neste blog. Teresa acedeu ao meu pedido e aqui fica "em exclusivo" o resultado. Muito obrigado pela disponibilidade e pela simpatia.



video

Etiquetas:

3 Comments:

At 19 novembro, 2007 18:52, Anonymous CresceNet said...

Oi, achei seu blog pelo google está bem interessante gostei desse post. Gostaria de falar sobre o CresceNet. O CresceNet é um provedor de internet discada que remunera seus usuários pelo tempo conectado. Exatamente isso que você leu, estão pagando para você conectar. O provedor paga 20 centavos por hora de conexão discada com ligação local para mais de 2100 cidades do Brasil. O CresceNet tem um acelerador de conexão, que deixa sua conexão até 10 vezes mais rápida. Quem utiliza banda larga pode lucrar também, basta se cadastrar no CresceNet e quando for dormir conectar por discada, é possível pagar a ADSL só com o dinheiro da discada. Nos horários de minuto único o gasto com telefone é mínimo e a remuneração do CresceNet generosa. Se você quiser linkar o Cresce.Net(www.provedorcrescenet.com) no seu blog eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. If is possible add the CresceNet(www.provedorcrescenet.com) in your blogroll, I thank. Good bye friend.

 
At 26 novembro, 2007 20:06, Blogger Nuno Flores said...

Caro Sérgio Fonseca,

Escrevo-lhe por aqui porque não consegui encontrar o seu contacto directo no blog.

Chamo-me Nuno Flores e sou membro de um grupo de musica tradicional denominado "arrefole" (www.arrefole.com).

Não conhecia o seu blog, mas desde já os meus sinceros parabéns pelo esforço e dedicação que dá à música e aos instrumentos tradicionais portugueses.

Nós nos arrefole, tentamos igualmente fazer a música com os nossos instrumentos. Bandolins, Viola Braguesa, cavaquinho, bouzouki português (este último, uma provocação).

É exactamente sobre o bouzouki que lhe queria falar. O bouzouki que utilizo para tocar nos arrefole é de construção portuguesa (aliás, foi o primeiro bouzouki construído por Domingos Machado, de Braga, depois de eu lhe ter facultado uma planta do mesmo, extraída da internet) e tem até agora servido para as necessidades.

No entanto, tem algumas falhas de construção que se começam a revelar impeditivas de continuar a usa-lo por muito mais tempo. Igualmente a captação não é a melhor.

Estou portanto em procura de um instrumento melhor e, em pesquisa na internet, cheguei ao encontro do bouzouki da fender (http://www.fender.com/products//search.php?partno=0956601021) o qual não sabia sequer que existia.

Pessoalmente tenho uma excelente relação com os produtos e instrumentos da fender (tenho uma guitarra eléctrica fender já há 15 anos e não a troco por nada) pelo que este bouzouki me pareceu como uma escolha promissora.

No entanto, e como não gosto de comprar um instrumento às cegas, vinha-lhe perguntar se já teve contacto com o instrumento e, adicionalmente, pedir-lhe algum conselho ou dica em especial que me pudesse dar.

Grato desde já pelo seu tempo e consideração

Com os melhores cumprimentos

Nuno Flores
(nuno.flores@gmail.com)

 
At 26 novembro, 2007 23:33, Blogger Sérgio Fonseca said...

Olá Nuno
Com que então bouzouki português...

Para além da clássica Stratocaster todos os outros instrumentos que eu tenho da Fender são acústicos: um bandolim, um banjo, um dobro e uma viola folk . Quanto ao bouzouki FBZ66 da Fender já por várias vezes que tive para o mandar vir da Alemanha, onde custa cerca de 470 euros mas fiquei-me sempre pela intenção. Não porque tenha alguma coisa contra os instrumentos acústicos da Fender, que acho excelentes, mas porque surgiram sempre outras prioridades. Entretanto no meu trabalho académico de pesquisa descobri o Bouzouki Richwood gbr2e que é rigorosamente igual (pelo menos na foto) e que custa no Reino Unido 280 euros.

Um abraço
Sérgio Fonseca

 

Enviar um comentário

<< Home